30 obras de arte indígena são vandalizadas durante exposição em Embu das Artes

Margarith Foga, curadora da exposição, conta que estão todos abalados com o acontecimento: “Foi uma tristeza muito grande”. As obras expostas abrangem diversos assuntos da cultura dos povos originários.

O jornalista Guilherme Queiroz, na Veja São Paulo, informou que, no último dia 16, cerca de 30 obras da exposição M´Bai foram vandalizadas no município de Embu das Artes, em São Paulo. A mostra acontece no Centro Cultural Mestre Assis, gerido pela prefeitura municipal, e está em sua terceira edição neste ano, comemorando o Ano Internacional das Línguas Indígenas, celebrado pela UNESCO. No total, faziam parte da exposição 40 obras de arte, produzidas por 16 artistas (indígenas e não indígenas), reunindo sete etnias indígenas diferentes. Entre as 40 obras, 30 foram danificadas.

Margarith Foga, curadora da exposição, conta que estão todos abalados com o acontecimento: “Foi uma tristeza muito grande”. As obras expostas abrangem diversos assuntos da cultura dos povos originários.

Além do vandalismo, a organização da mostra também precisa lidar com a prefeitura que retirou as obras do local e se recusa a devolvê-las. A intenção dos artistas e da curadoria era manter as obras danificadas expostas como forma de protesto. “Entramos com uma ação com um advogado. Muitos artistas não têm sequer fotos das obras, e também não sabem como ficaram depois do vandalismo”, relata Margarith.

Procurada pela reportagem da Veja São Paulo, a administração municipal disse que está tomando as medidas necessárias para encontrar os responsáveis pelo crime: registrou boletim de ocorrência, abriu uma sindicância para apuração de responsabilidades e alocou efetivo de guarda patrimonial para atender o local. Sobre a devolução das obras aos artistas, a prefeitura não respondeu e afirmou apenas que as peças foram retiradas do local para “resguardar as obras danificadas”.

Apesar das dificuldades, a exposição seguirá aberta até dia 26 de julho, como era o planejado.

No facebook, um dos artistas expositores, Thiago Carvalho Wera’i, publicou uma nota de repúdio ao acontecimento em que pede, também, a devolução de sua obra vandalizada: “A princípio, peço à Secretaria de Cultura de Embu das Artes a devolução da minha obra (em seu estado atual de ‘destruída’) após o ato criminoso que ocasionou na descaracterização da obra original, levando-me ao prejuízo material e de valor sentimental, para que ela possa retornar à exposição e ser encaminhada para outra mostra de artes no circuito.”

NOTA DE REPÚDIO AO VANDALISMO À MOSTRA M’BAI Eu, Thiago Carvalho, um dos artistas expositores da M’Bai – Mostra…

Publicado por Thiago Carvalho Wera'i em Domingo, 21 de julho de 2019

 

- Publicidade -

Você pode gostar também