A força de mulheres artistas chega ao MASP

Reunindo cerca de cem trabalhos realizados entre os séculos 1 e 19, as obras expostas apresentam peças produzidas por diversas artistas

Com o propósito de dar visibilidade para artistas mulheres, chega ao Museu de Arte de São Paulo (MASP) no dia 23 de agosto a exposição “Histórias de mulheres: artistas antes de 1900”. A mostra segue em exibição até 17 de novembro.

Reunindo cerca de cem trabalhos realizados entre os séculos 1 e 19, as obras expostas apresentam peças produzidas pelas seguinte artistas:  Sofonisba Anguissola (1532-1625), Artemisia Gentileschi (1593-1653), Judith Leyster (1609-1660), Angelica Kauffmann (1741-1804), Elisabeth-Louise Vigée-Lebrun (1755-1842), Eva Gonzalès (1849-1883), Magdalena Mira Mena (1859-1930), Abigail de Andrade (1864-1890) e Berthe Worms (1868-1937).

Portrait d’une dame assise dans un paysage

Sob curadoria de Julia Bryan-Wilson Liilia Schwarcz e Mariana Leme, “Histórias de mulheres: artistas antes de 1900” é um convite para que o público conheça o trabalho de moças cujo trabalho artístico não obteve tanta visibilidade na época.

Em paralelo a essa exposição, “Histórias de mulheres: artistas depois 2000” também chega ao MASP no mesmo período. Ainda com o objetivo de trazer visibilidade para artistas mulheres, desta vez para obras pós 2000, a mostra apresenta produções que debatem discussões mais recentes quanto ao feminismo, sexualidade feminina, etc.

Para Isabella Rjeille, responsável pela curadoria, a exposição é reflexo das novas demandas que emergiram neste século, ampliando ainda mais os debates quanto ao que se entende sobre a causa feminista. “[o feminismo é] uma prática capaz de provocar fricções e diálogos trans-históricos e transnacionais”, destacou em entrevista ao site Catraca Livre.

Entre os nomes presentes na exposição que celebra tais artistas pós anos 2000, temos Aline Motta, Carla Zaccagnini, Allen Lesperance, Giulia Andreani, Katia Sepúlvera, Kaj Osteroth, Lydia Hamanm.

- Publicidade -

Você pode gostar também