Festivalzinho – Alunos das escolas públicas participam da mostra paralela do 52º FBCB

Sessão infantil do festival destaca temas relevantes para estudantes da primeira infância

Pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do DF:

Na manhã desta quarta-feira (27), cerca de 500 alunos da rede pública de ensino do Distrito Federal foram recebidos no Cine Brasília para assistir à mostra paralela “Festivalzinho”. Parte da programação da 52ª edição do Festival de Brasília do Cinema Brasileiro (FBCB), a sessão oferecida aos estudantes foi desenvolvida especialmente para crianças da primeira infância, com o objetivo de promover a democratização do acesso ao cinema e a formação de opinião e plateia dentro do FBCB.

Participaram do primeiro dia do Festivalzinho os estudantes do 1º ao 4º ano dos seguintes centros de ensino do Distrito Federal: Escola Classe 02 de Candangolândia, Escola Classe 02 do Guará, Centro de Ensino Fundamental 01 do Varjão, Escola Parque 313/314 Sul e Escola Classe Agrovila.

A decoração, a música e os jogos de luzes encantaram os olhares dos pequenos, que relataram sua primeira experiência em uma sessão de cinema. Acomodados nas poltronas da sala escura, as crianças ouviram atentas a apresentação que antecedeu a mostra, que esclareceu aos pequenos dúvidas sobre cinema e seus significados, como a diferença entre curta e longa metragem.

Com uma abordagem lúdica e divertida, as animações selecionadas abordaram de modo suave questões sociais vividas por crianças, envolvendo direitos, igualdade social, democracia, cidadania, combate ao bullying e respeito à diversidade, promovendo a identificação da criança brasileira com as produções cinematográficas do país.

Os filmes também traduziram a riqueza da realidade nacional, o que pode proporcionar debates construtivos em sala de aula. Os curtas “O Menino Cabeça-de-Flor”, “Dia das Nações”, “Formiga”, “Fábula de Vó Ita”, “Os Segredos do Rio Grande”, “Lá do alto”, “Pirilampo” e “Bá” também abordaram a questão das tradições regionais presentes em cada espaço do Brasil, contextualizando e valorizando o folclore brasileiro.

 

- Publicidade -

Você pode gostar também