Peça teatral infantil sobre repressão é cancelada e direção alega censura

A peça conta a história de um estado comandado por um general ditador que determina o que pode e não pode ser feito.

Uma peça de teatro infantil do grupo Clowns de Shakespeare chamada “Abrazo”, que trata de temas como repressão, censura e governos ditatoriais, foi repentinamente cancelada pela organização da Caixa Cultural em Recife no último sábado (7). O grupo de teatro veio de Natal e já havia feito uma das apresentações do espetáculo que foi seguida de um debate sobre o conteúdo da peça. No entanto, apenas minutos antes da segunda apresentação, o grupo foi comunicado sobre seu cancelamento — decisão de instâncias superiores da Caixa Cultural.

A peça conta a história de um estado comandado por um general ditador que determina o que pode e não pode ser feito. Desde não poder atender o celular, não poder pode levantar, até não poder falar e não poder abraçar. Os personagens são um rapaz, uma florista, um soldado, um índio, uma avó, o general e um menino, que consegue mudar a história com sua imaginação e inocência.

Foto: Teatro Clowns de Shakespeare/Reprodução
O espetáculo já passou pela Caixa Cultural Brasília em 2018 e foi selecionado através do edital “Programa de Ocupação dos Espaços Caixa Cultural”. Em nota à imprensa, a Caixa alegou “descumprimento contratual” como justificativa para o cancelamento, sem mais detalhes sobre qual foi o descumprimento.
A nota divulgada pelo site UOL diz: “A Caixa informa que por descumprimento contratual cancelou o espetáculo Abrazo, com apresentações programadas no espaço cultural do banco. O contrato com o Clowns de Shakespeare foi rescindido, conforme comunicado ao grupo nesta data”.

O grupo de teatro Clowns de Shakespeare também divulgou uma nota de esclarecimento ao público alegando que a justificativa apresentada pela Caixa foi “genérica” e dizem estarem perplexos diante do acontecimento. “Nenhum esclarecimento adicional nos foi dado, o que nos moveu a solicitar da Caixa o parecer jurídico e a decisão administrativa relativos a essa rescisão, com detalhamento para que possamos analisar e nos posicionar apropriadamente sobre o caso. Até o momento estamos perplexos diante dessa atitude, uma vez que não reconhecemos qualquer indício de infração que pudesse ter sido eventualmente cometida, pois cumprimos com tudo que estava contratualmente previsto”, rebateu.

Leia abaixo a Nota Oficial do Clowns de Shakespeare:

View this post on Instagram

No último sábado, dia 7 de setembro de 2019, após haver realizado a primeira apresentação do espetáculo Abrazo na Caixa Cultural Recife, fomos surpreendidos com o cancelamento da segunda sessão do dia, assim como das demais apresentações que seriam realizadas no dia seguinte. Nesta segunda-feira recebemos um comunicado oficial da Caixa Econômica Federal informando a recisão do contrato relativo ao restante desta temporada, que se estenderia até o próximo domingo, 15 de setembro, sob a genérica alegação de descumprimento contratual. Nenhum esclarecimento adicional nos foi dado, o que nos moveu a solicitar da Caixa o parecer jurídico e a decisão administrativa relativos a essa rescisão, com detalhamento para que possamos analisar e nos posicionar apropriadamente sobre o caso. Até o momento estamos perplexos diante dessa atitude, uma vez que não reconhecemos qualquer indício de infração que pudesse ter sido eventualmente cometida, pois cumprimos com tudo que estava contratualmente previsto. O contrato de patrocínio celebrado com a Caixa decorreu de edital no qual se habilitou e foi selecionado o Grupo Clowns de Shakespeare, dentro das normas legais de seleção de projetos. Esperamos que essa justificativa, genérica e lacônica, seja esclarecida pela Caixa, de forma a possibilitar ao grupo defender-se de tal alegação. Agradecemos o apoio maciço que estamos recebendo de diversos setores da sociedade, e voltaremos a nos pronunciar tão logo a nossa solicitação de esclarecimentos seja atendida pela Caixa.

A post shared by Clowns de Shakespeare (@teatroclowns) on

 

- Publicidade -

Você pode gostar também